First Second Third
Dúvidas
Março-2019 - Caspa

Todo mundo gosta de ter um cabelo bonito, cheiroso, sedoso. De repente, um dia, ao se arrumar para uma festa e colocar aquele lindo vestido preto ou aquela camisa num tom escuro, ao olhar para o espelho se depara com aqueles floquinhos brancos sobre os ombros. A caspa é um horror, pois dá a impressão de cabelos sujos, mas não é por aí.

Ela atinge aproximadamente 40% da população mundial e pode aparecer por diversas causas, entre elas, o estresse emocional, alterações climáticas, disfunções das glândulas sebáceas, alcoolismo e até pelo uso de alguns medicamentos ou produtos no couro cabeludo.

Como evitar
A melhor maneira de evitar a caspa é manter os cabelos lavados com xampus adequados, à base de antimicóticos ou antifúngicos.

Os tipos mais comuns de caspa são minúsculas escamas que não inflamam o couro cabeludo e escamas mais grossas, amareladas e pegajosas, que podem trazer maiores problemas. A Caspa não é contagiosa, só que não tem cura, somente controle. E, caso não seja bem controlada, pode levar à queda de cabelo!É aliás uma das causas mais frequentes de queda de cabelo entre as mulheres adultas.

Como nem tudo que reluz é ouro, também os "floquinhos" que podem aparecer - não só no couro cabeludo, mas também nas sobrancelhas e axilas - podem não ser caspa. Para a confirmação do diagnóstico, é necessário que você vá ao dermatologista, que fará um exame para constatar o seu problema.

Afinal, nada como ter cabelos saudáveis e maravilhosos, não?!

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Fevereiro-2019 - A Moda a favor da saúde da pele

Roupas com filtro solar conferem proteção realmente efetiva contra os efeitos nocivos do sol
Esse mês vamos falar um pouco sobre proteção solar além dos cremes fotoprotetores! Pois Fevereiro ainda é um mês em que a radiação solar está muito forte e intensa e devemos estar sempre atentos... Para aproveitar a estação mais quente do ano sem afetar a saúde, os dermatologistas são categóricos: filtro solar é indispensável. Com a tecnologia cada vez mais avançada, é possível encontrar o produto de várias formas: gel, maquiagem, hidratante, cápsulas, sabonete, e até em roupas que prometem resultados contra os perigosos raios UVA e UVB. A indústria têxtil já disponibiliza no mercado roupas que recebem em seus tecidos substâncias que agem como protetores , com FPS que chega até 50. São roupas feitas em tecido de poliamida. Alguns apresentam em sua composição fios especiais à base de dióxido de titânio que proporcionam maior proteção contra a radiação ultravioleta. Outros, como o algodão, recebem tratamento no momento do tingimento, quando é aplicado um aditivo que funciona como absorvedor de raios Ultra-Violeta. Além disso, essa tecnologia garante a eficiência de proteção solar durante toda a vida útil da roupa. As peças não necessitam de cuidados especiais de conservação para manter a eficácia da proteção e podem ser lavadas normalmente, seguindo as instruções de lavagem na etiqueta interna do produto.

Outra vantagem da nova proteção é que algumas peças possuem tecidos com ação bacteriostática que evitam a proliferação excessiva de bactérias no tecido sem alterar o equilíbrio natural da flora bacteriana da pele. Já ha no mercado nacional algumas marcas que oferecem linhas de vestuário, com design atual e moderno, com tecnologia de proteção aos raios UV com produtos confeccionados com tecidos especiais, capazes de filtrar mais de 98% dos raios solares. Os tecidos dessas roupas especiais são submetidos a rigorosos testes de Agências Reguladoras que medem o FPU ( Fator de Proteção Ultravioleta ) dos tecidos: 30, 40 ou 50+. Foi na Austrália que surgiu o conceito de roupa de proteção solar, em 1996. O país, que tem muito Sol e população de pele clara, começou a apresentar índices alarmantes de pessoas com problemas dermatológicos. Assim, foi desencadeada no país uma política de saúde pública para incentivar a criação de novos métodos de proteção solar.


Mas é fundamental ressaltar que não são apenas as roupas especiais que vão garantir uma proteção efetiva contra os raios nocivos do sol. Há a necessidade de um conjunto de atitudes para que a fotoproteção realmente ocorra de uma maneira completa e satisfatória.

Confira abaixo atitudes importantes para proteger a pele durante o Verão: • Evitar exposição solar nos horários de pico ( entre 10h e 16h); • Procurar manter-se em áreas com sombras; • Utilizar cremes com fator de proteção elevado e reaplicá-los periodicamente; • Aplicar o filtro solar também nas orelhas, pés e lábios; • Mesmo na água 50% da radiação solar pode atingir áreas submersas do corpo; • Utilizar roupas que bloqueiem os raios solares, o máximo possível.

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Janeiro-2019 - Ultravioleta
Os raios ultravioleta provenientes do sol são os maiores responsáveis pelo envelhecimento da pele, pelo aparecimento de machas e pelo câncer de pele.
O uso do filtro solar é de extrema importância para evitar esses efeitos indesejáveis da radiação solar que são especialmente nocivos nesta época do ano.
Mas além disso as pessoas deveriam saber os horários e os locais em que o chamado Índice Ultravioleta se encontra com valores mais altos, ou seja, são mais nocivos para nossa pele.


PRECAUÇÕES BÁSICAS
A sociedade atual tem imposto a moda do bronzeado a partir da exposição ao sol. Tal comportamento tem provocado o envelhecimento prematuro da pele, evidenciado pelo maior aparecimento de manchas e rugas, além da possibilidade do surgimento do câncer de pele. As radiações solares exercem um efeito cumulativo sobre a pele, cujos problemas não surgem de imediato, mas com o passar dos anos.
Apesar das campanhas de informação ao público sobre os efeitos adversos do sol, não se tem percebido uma significativa mudança de atitude com relação a proteção solar da população.
Sem dúvida, o problema é sério e requer o estabelecimento de medidas de foto-proteção.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO SOLAR
Não expor-se ao sol nos horários próximos ao meio-dia solar, período em que os raios solares são mais danosos.
Manter-se abrigado do sol, em espaços interiores ou a sombra durante as horas de maior intensidade da radiação solar.
Mesmo estando sentado a sombra de uma barraca de praia, a proteção não é total, já que a areia reflete os raios solares.
A exposição ao sol deve ser progressiva em doses de 10, 15 e 20 minutos, preferencialmente em movimento.
Utilizar roupas adequadas e usar bonés para proteger-se do sol. Redobrar os cuidados nas zonas mais sensíveis do corpo: rosto, garganta, orelhas, etc...
Proteger os lábios com batom foto-protetor.
Utilizar óculos de sol que absorvam a radiação UV, já que esta pode produzir catarata e evoluir até a cegueira.
Evitar o bronzeado artificial por radiação UVA, uma vez que esta prática pode ocasionar queimaduras e envelhecimento cutâneo prematuro, potencializando o risco de desenvolvimento do câncer de pele.
Evitar a exposição excessiva ao sol durante a gravidez.

Utilizar o protetor solar apropriado sobre a pele exposta ao sol, sempre levando em conta o tipo de pele e o fator de proteção solar. Sua aplicação deve ocorrer entre 30 e 60 minutos antes do início à exposição ao sol, repetindo a aplicação após cada banho de mar ou pscina, ou à cada 2 horas.
Dar preferência aos protetores físicos que possuem resistência à água e ao atrito mecânico.
Devem ser utilizados os cremes de proteção solar que exerçam proteção sobre as radiações UVA e UVB.
Evitar medicamentos ou cosméticos que possam sensibilizar a pele frente às radiações solares.
Não utilizar produtos que contenham álcool, pois podem produzir manchas escuras na pele.
Evitar manter a mesma posição do corpo ao expor-se ao sol em praias e piscinas.
Beber bastante água para compensar a perda de água pelo suor.
Consultar o Índice Ultravioleta (IUV) antes de se expor ao sol.
Mudanças de estilo de vida devem ocorrer em relação à exposição ao sol, como forma de manutenção da saúde.Em suma, torna-se importante a conscientização da população quanto aos riscos da exposição excessiva ao sol.
Mudanças de estilo de vida devem ocorrer, de forma a diminuir o número de tumores cutâneos que ocorrem atualmente.

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Dezembro-2018 - Peeling de Cristal – Microdermoabrasão

Voce conhece o peeling de cristal?
é um tipo de peeling que usa cristais de hidróxido de alumínio, faz uma microdermoabrasão da pele e pode trazer resultados excelentes e imediatos. Não é nada complicado e você pode retornar as suas atividades imediatamente.
Com este procedimento é possível remover as células mortas e regenerar a pele, consequentemente seu rosto ganha uma textura fina, leve e delicada.
Este procedimento é realizado com a ajuda de um aparelho que promove pulverização de cristais de óxido de alumínio sobre a área a ser tratada, com esta ação a barreira mais superficial da cútis é eliminada facilitando a
penetração dos cosméticos utilizados em casa e na própria sessão. E o mais importante é que a microdermoabrasão elimina as células mortas e estimula a produção de elastina e colágeno que dão expressão suave e jovem a face. Como é realizado o tratamento:

É agendada uma avaliação para análise da pele e determinação do provável número de sessões que será necessário. Pode variar de três a dez sessões.
É feito uma assepsia da pele e isoladas possíveis regiões que não serão tratadas.
Um aparelho faz todo o trabalho com auxílio de um profissional capacitado.
Com uma ponteira o aparelho lança os cristais que varem as impurezas e as células mortas de toda parte externa da pele.
A recomendação é sempre iniciar com peeling superficial e aprofundar progressivamente.
É uma técnica praticamente indolor e não invasiva.
O peeling pode ser associado a outros tratamentos quando necessário.

Indicações:
Cicatrizes de acne
Fotoenvelhecimento
Manchas
Estrias
Rugas finas
Cuidados essenciais:
Após o procedimento a pele pode ficar avermelhada e em alguns casos inchada. Nas primeira 24hs pode ainda ficar escurecida e descamar, o que é considerado normal e o paciente não deve mexer.
Use hidratante e filtro solar recomendados pelo profissional que aplicar o peeling.
Evite fumar no dia do tratamento.
Não use medicamentos para aliviar a vermelhidão.



Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Novembro-2018 - Flacidez facial

Esse mês vamos falar um pouco sobre Flacidez facial, problema que não vem se mostrando mais exclusivo das mulheres mais maduras, pois é cada vez mais comum nos consultórios a presença de jovens querendo tratar ou até prevenir o problema.

As pessoas têm flacidez facial devido ao aparecimento de alterações intrínsecas na pele, principalmente na derme, no subcutâneo e na área muscular facial. Por isso, os cuidados com a pele devem começar cedo, a partir dos 20, 25 anos. A partir dos 30 anos a pele começa a perder colágeno, proteína de importância fundamental no combate à flacidez facial.

Fatores genéticos e tipo de pele influenciam muito. Quanto mais fina for a pele, maior a chance de flacidez ocorrer precocemente. A exposição excessiva ao sol e sem proteção, também é nociva, já que prejudica as fibras elásticas e a produção de colágeno na face. Estresse, tabagismo, má alimentação, insônia, excesso de atividade física e efeito sanfona também são grandes responsáveis pelo aparecimento do problema.

Um estudo realizado em consultórios dermatológicos recentemente revelou que 70% das mulheres acima de 35 anos já apresentam sinais de flacidez facial.

Cuidados também com a alimentação

Cuidados simples podem retardar os efeitos da flacidez facial. O uso de fotoproteção FPS30 (mesmo que a pessoa não esteja exposta diretamente ao sol) é fundamental. Hidratação oral e local também faz muita diferença, assim como uma alimentação saudável e regrada. O uso de certos medicamentos dermatológicos que estimulem o colágeno, também é recomendado.

O ideal é usar estes produtos numa fase em que a resposta a estes estímulos ainda seja boa. É importante ressaltar que o colágeno ingerido não é tão eficaz quanto o tópico. Ele estimula cerca de 5 vezes mais do que o ingerido. Para que o colágeno possa ser sintetizado pelo organismo, é importante consumir alimentos que contenham vitamina C e vitamina E, além dos minerais cobre, selênio, zinco e silício.

Os exercícios físicos estimulam a vascularização também na região da face. Porém algumas atividades físicas

podem aumentar a flacidez:

Os Maratonistas, por exemplo, produzem uma grande quantidade de radicais livres, devido à quantidade de horas gastas em treinamento, prejudicando a pele.

Para quem prefere recorrer aos tratamentos estéticos, recomendamos a luz pulsada ou os LEDs de luz azul, que estimulam a produção de colágeno e fibras elásticas. Já os realizados com infravermelho têm um resultado muito satisfatório já nas primeiras sessões. Na primeira sessão de tratamento o paciente já sai com um aspecto melhor. Além disso, existem ainda a radiofreqüência e o laser de C02, que além de melhorar a textura da pele, tem uma boa ação na estímulo à produção de colágeno.

A faixa etária que mais se beneficia com esses tratamentos é a de 30 a 55 anos.



Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Outubro-2018 - Psoríase
Neste mês vamos falar sobre a Psoríase, pois é o mês da Campanha Mundial de Informação sobre a doença.
Tenho nessa doença um interresse todo especial desde a minha época de faculdade, já tendo feito diversos estudos e participado do desenvolvimento de novos protocolos de tratamento. Hoje sou responsável por um ambulatório específico para o tratamento dessa doença no curso de pós graduação onde dou aulas e temos conseguido avanços significativos no controle das lesões e na consequente melhoria da qualidade de vida dos pacientes A psoríase é uma doença inflamatória auto-imune, não contagiosa, que atinge até 3% da população mundial e se caracteriza pela multiplicação acelerada dos queratinócitos ( as células da pele ) que chegam à superfície ainda imaturas. Ela causa vermelhidão, descamação e, em alguns casos, coceira. O diagnóstico é feito por exame clínico, mas o dermatologista pode solicitar uma biópsia para a sua confirmação.
Os locais mais frequentemente acometidos são as superfícies extensoras das articulações ( cotovelos, joelhos ), além do couro cabeludo e da região sacra, sendo muito raro na face. Em alguns casos as placas avermelhadas e descamativas podem ocorrer em diversas áreas e podem atingir todo o corpo ( quadro conhecido como eritrodermia ). Além da pele, as articulações também podem ser afetadas, o que pode comprometer ainda mais a qualidade de vida dos pacientes. Tratamentos mais antigos para a dermatose, como os corticóides e o coaltar, vem dando lugar a novas terapias mais eficazes, específicas e com menos efeitos adversos.

Novos medicamentos tópicos, como o calcipotriol (análogo da vitamina D) e o tacrolimus ( imunomodulador ) têm demonstrado eficácia em pacientes com psoríase leve ou moderada.Os queratolíticos ( uréia e salicilatos ) também podem ser indicados para ajudar a remover as escamas e afinar as placas, melhorando a absorção dos medicamentos de uso tópico.

Os medicamentos sistêmicos mais usados em Psoríase disseminada ou grave são o metotrexato e o etretinato. O metotrexato é eficaz na psoríase em virtude de seus efeitos antiinflamatórios e antiproliferativos, sendo necessária valiação e controle laboratorial hepático para controlar os possíveis efeitos colaterais.
Já o etretinato promove uma melhor diferenciação dos queratinócitos e pode modular a resposta inflamatória na psoríase. Os efeitos colaterais do etretinato, como teratogenicidade e a hepatotoxicidade, limitam o uso da droga a casos de psoríase grave e recalcitrante, mas os resultados costumam ser muito satisfatórios.
Já para casos mais extensos, antigos ou resistentes às terapias convencionais, os portadores de Psoríase no Brasil já dispõem de novas gerações de aparelhos e medicamentos que controlam muito bem a doença. Aparelhos emissores de raios Ultra Violeta B ( Narrow Band ) e os novos medicamentos "Biológicos" , que atuam diretamente em pontos específicos do sistema imunológico dos pacientes, estão ajudando muitas pessoas no controle dessa dermatose tão frequente e que tanto compromete a qualidade de vida das pessoas.
No Narrow Band a radiação é emitida com freqüência baixa e picos de 318 nanômetros. O método induz a chamanda apoptose, uma espécie de suicídio celular das células que atuam na inflamação.

A adesão ao Narrow Band é bem maior do que à Fototerapia convencional ( PUVA ) porque não há associação com medicação oral. No caso do Puva, o paciente tem de se expor à radiação num período determinado após usar o medicamento e ainda se proteger de forma cuidadosa ao longo de todo o dia em que fez a aplicação. Isso engessa o tratamento e aumenta os riscos de efeitos colaterais, inclusive oftalmológicos.
O maior avanço terapêutico em Psoríase, entretanto, ocorreu mais recentemente com o advento dos chamados medicamentos imuno-biológicos. Enquanto a primeira geração de drogas usadas em Psoríase - corticóides, coaltar e metrotexato - atuavam no controle dos sintomas, os novos medicamentos biológicos agem na fase inicial ( causa ) da doença, impedindo, de maneiras distintas, a transmissão das mensagens químicas que desencadeiam a inflamação e a escamação da pele. Diferentemente das substâncias convencionais, cuja eficácia é suspensa com a interrupção do uso, os medicamentos biológicos propõem ainda a ausência de sintomas sem o emprego das substâncias por até um ano ( tempo de remissão da doença ).

Indicadas para casos moderados e graves ou de intolerância aos medicamentos tradicionais, drogas como infliximab, etanercept, , adalimumabe e ustequinumabe ( todos já disponíveis no Brasil ) são ministradas de duas maneiras: infusão intravenosa ou injeção subcutânea. Nesse último caso, o uso é igual ao da insulina: o próprio paciente pode aplicar o medicamento em casa, mas em intervalos grandes, às vezes até de 2/2, 3/3 meses, conforme o caso. A fidelidade ao procedimento adotado contra a Psoríase, aliás, é fundamental. Por terem uma doença crônica, os psoriáticos não podem desistir nas primeiras tentativas terapêuticas, é como se tivessem diabetes ou hipertensão. O controle é permanente e um rodízio de tratamentos pode ser necessário para controlar a doença, minimizando os efeitos colaterais. É muito importante também a avaliação por profissionais que tenham experiência no tratamento da doença, que tem características próprias e indicações terapêuticas específicas de acordo com a forma clínica. Há hoje profissionais quase que especializados no tratamento da Psoríase. Já a auto-medicação prejudica muito, pois muitos pacientes já chegam nos consultórios dos médicos tendo usado vários medicamentos, o que atrapalha sobremaneira a resposta à terapêutica correta. A Sociedade Brasileira de Dermatologia ( SBD ) percebendo a prevalência e a relevância da dermatose, organiza ha alguns anos, sempre no mês de Outubro, sua Campanha Nacional da Psoríase, para informações e conscientização sobre a doença, com distribuição de folhetos e atendimento gratuito nos Serviços de Dermatologia credenciados.
Se voce sabe que é portador ou acha que pode ter Psoríase procure logo um Dermatologista e saiba como melhorar muito sua qualidade de vida...

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Setembro-2018 - Micose
Neste mês vamos falar sobre micoses, a temperatura já começa a subir em todo o país e as infecções de pele por fungos aumentam substancialmente. . .

Micoses são afecções muito frequentes na pele e são provocadas por fungos. Aliás, são a afecção mais comum na pele, principalmente no nosso clima - quente e úmido.
Esses fungos podem ser encontrados em lugares como solo, plantas, animais e até na nossa própria pele, nem sempre causando algum mal.
Infelizmente, qualquer pessoa está sujeita a contrair esses fungos.
O problema é que não sabemos (ou não temos?) como evitar a contaminação. De qualquer maneira, é bom tomar alguns cuidados:

•Evite andar descalço, principalmente em pisos úmidos ou públicos
•Não use toalhas de outras pessoas
•Ao sair do banho, enxugue-se bem, principalmente onde tem dobras e entre os dedos
•Prefira meias e roupas íntimas de algodão, pois as fibras sintéticas prejudicam a transpiração
•Quando for à manicure/pedicure, leve seu próprio alicate, lixa e tesoura. Caso não os tenha, verifique se estão todos esterilizados
•Evite usar o mesmo sapato dois dias seguidos e, de maneira alguma, use a mesma meia antes de lavá-la
•Evite ficar com roupas de banho molhadas por muito tempo

Há alguns casos que ajudam a proliferação dos fungos, como o diabetes, pessoas com HIV positivo, quem está em tratamento com quimioterapia e até durante a gravidez.
Qualquer "problema" que diminua a imunidade, aumenta a possibilidade de contaminação.
De qualquer modo, não é preciso se desesperar. As micoses têm cura, algumas mais demoradas que outras, mas todas têm um fim.
Os tratamentos podem ser via oral ou tópicos, quando são utilizados cremes e sabonetes.

O importante é não se automedicar, pois muitos dos antimicóticos encontrados em farmácias são tóxicos e grande parte dos fungos já esta imune a eles.



Caso apareça então algum tipo de mancha na sua pele, procure logo um dermatologista. Ele saberá qual o melhor tratamento para o seu caso. . .

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Agosto-2018 - Peelings químicos
Neste mês vamos falar um pouco sobre peelings químicos, pois é agora, no inverno, a época mais recomendada para este tipo de procedimento estético que, quando bem indicado, pode melhorar muito o aspecto e a "qualidade" da nossa pele. . . O peeling químico consiste na aplicação tópica de determinadas substâncias químicas capazes de provocar reações que vão desde de uma leve descamação até necrose da derme, com remoção da pele em diferentes graus. Isso significa que haverá descamação e troca da pele, atuando no tratamento de manchas, acne e envelhecimento cutâneo. Quando bem indicado o peeling pode promover resultados excepcionais, principalmente no fotoenvelhecimento. O peelings químicos ser realizado preferencialmente no inverno, para que o excesso de sol e o calor não atrapalhem na recuperação da pele.

Os peelings, pela capacidade de trocar a pele, são utilizados para o tratamento de algumas alterações, como: manchas de sol, melasma e acne. Ele também é capaz de melhorar as cicatrizes e o envelhecimento da pele, pois renova as células, melhorando a flacidez e as rugas.
Os peelings químicos também podem ser feitos no corpo, como: pescoço, colo, braço e mãos, respeitando as restrições e características de cada local. A pele do corpo tem maior dificuldade na cicatrização e podem ocorrer mais complicações. Os peelings são classificados, conforme a sua capacidade de penetração superficial, médio e profundo. Esse critério, porém, não é absoluto, pois o mesmo agente e concentração poderão ser superficiais para uma pele grossa, sem preparo, e médio para uma pele mais fina, muito preparada.

Peeling superficial
Age na epiderme, que é a camada mais superficial da pele e não apresenta grandes problemas após sua aplicação. Pode ser realizado com as seguintes substâncias:

Ácido retinóico
Ácido glicólico
Ácido tricloroacético
Ácido salicílico
Pasta de resorcina

Peeling médio
Provoca destruição dos tecidos, removendo parcial ou totalmente a epiderme, atingindo o nível da derme papilar. Apresenta poucos riscos e complicações. Pode ser realizado com os seguintes ativos:

Ácido glicólico 30 a 50%
Ácido Lactico 30 a 50%
Ácido tricloroacético 35% + Solução de Jessner
Ácido tricloroacético 35% + Ácido glicólico
Ácido pirúvico 60 a 90%

Peeling profundo
Destrói totalmente a epiderme e sua profundidade atinge até o nível da derme reticular. Apresenta riscos maiores de complicações, como hipocromias (manchas claras), hipercromias (manchas escuras), cicatrizes. Pode ser realizado com substâncias como:

Ácido tricloroacético 50%
Fenol (fórmula de Baker).

A indicação é a questão mais importante na realização do peeling químico e cabe ao médico, com sua experiência, analisar o tipo de pele, o tipo de lesão e o procedimento a ser utilizado. A pele do rosto, devido à presença maior de folículos sebáceos, se regenera facilmente, pois esses folículos agem como unidades de reserva importante essencial para a cicatrização. O paciente, por sua vez, deve entender o processo, conhecer seus passos, limitações, duração da recuperação e ter uma expectativa real do resultado esperado.
Os pacientes de pele clara (louros, morenos-claro) são os que tem menor risco de hiperpigmentação ou hipopigmentação, mas as de pele morena também podem ser submetidas a esses procedimentos, porém o preparo da pele deve ser mais longo e os cuidados posteriores maiores.

Preparo da pele
É uma medida fundamental para o bom resultado de um peeling químico. Pode ser feito num período de alguns dias ou até semanas antes do peeling, no qual se promove a "preparação" da pele, incluindo hidratação, fotoproteção, eliminação de manchas preexistentes e diminuição suave da espessura da camada córnea, que é conseguida com a aplicação de cremes à base de ácidos, hidratantes e despigmentantes. Ácidos como o retinóico em baixas concentrações melhoram a capacidade de cicatrização, pois aumentam a proliferação de queratinócitos, provocam angiogênese e neocolagênese (proliferação de vasos e colágeno, respectivamente). A hidroquinona ou outros despigmentantes ajudam a dimimuir a capacidade responsiva dos melanócitos, sendo essencial para evitar a hiperpigmentação pós-inflamatória (manchas escuras).

Pacientes com história prévia de infecção pelo vírus do herpes, deve ser medicado com antivirais antes da realização de peelings médios ou profundos, que deve ser continuado por até dez dias após o procedimento. Isso é necessário devido à grande agressão a qual a pele é exposta, facilitando a proliferação viral. Os peelings superficiais, em geral, são realizados com intervalos que variam de uma a três semanas, numa série de 5 a 6 peelings. Eles são aplicados no rosto limpo e desengordurado, e o tempo de permanência depende do tipo de peeling aplicado.

Sua indicação é para rugas muito suaves, manchas superficiais da pele, acne leve e fotoenvelhecimento leve. Essas informações, a meu ver, são bastante relevantes e importantes para que os pacientes possam "entender" melhor o processo a que estão sendo submetidas e com isso colaborar mais com o tratamento pois, sem a colaboração das pacientes, esses métodos não costumam apresentar resultados muito expressivos. . .

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Julho-2018 - Banho
Este mês vamos falar um pouco sobre banhos!
Que banho é bom e imprescindível, todo mundo sabe. Um banho bem tomado, além de despertar, tirar as impurezas da pele e dos cabelos, também pode lavar a alma não é verdade?

Mas, você sabe realmente tomar banho?
O banho não se resume apenas em se enxaguar, ensaboar e enxugar-se. É preciso saber a temperatura da água, o tempo que se deve ficar embaixo dela e como se enxugar. Vamos por partes:

A temperatura ideal da água deve ser de morna para fria, de acordo com a sensação da pele. Se quiser medir com um termômetro, a água deve estar entre 25 e 30 graus, quer dizer, mais ou menos, à temperatura ambiente.
A água fria faz bem à pele e ajuda a impedir o ressecameto, mas como deve-se sentir uma sensação de prazer ao tomar banho, o ideal é que não seja gelado.

Em relação ao tempo, o ideal é que não ultrapasse 15 minutos. Banhos prolongados desidratam a pele, pois diminuem o teor de sais minerais que existem nela. Como você não deve ficar muito tempo debaixo d'água, o mais apropriado é tomar banho de chuveiro. Evite banhos na banheira, que costumam ser bem prolongados. Mas se voce gosta muito dos banhos de banheira, tente limita-los a, no máximo, 1 ou 2 vezes por semana.

O corpo deve ser ensaboado com sabonetes glicerinados e, de preferência, com o auxílio de uma bucha muito suave, que ajuda a desobstruir os poros, remover as células mortas e ativar a circulação sangüínea. Não utilize sabonetes hidratantes; se a sua pele for seca, opte por usar o hidratante corporal após o banho.

Na hora de se enxugar, prefira toalha a roupão. Friccione-a sobre a pele, dando leves pancadinhas - não há a necessidade de esfregar muito - até que o corpo inteiro fique enxuto. Lembre-se de dar atenção especial na secagem das dobras corporais ( axilas, virilhas, entre os dedos dos pés ) pois as micoses costumam ocorrer nessas areas quando úmidas. . .

Seguindo esses passos, você terá uma pele saudável, bem hidratada e sedosa, como um bumbum de neném.


Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Junho-2018 - Transpiração excessiva !

Este mês vamos falar um pouco sobre transpiração excessiva e indesejável, problema que incomoda muitos pacientes. Motivo frequentes de queixas nas minhas clínicas, há pacientes que até mesmo durante a consulta começam a transpirar até encharcar a roupa. É um problema extremamente desagradável que faz a pessoa sofrer e se constranger. A transpiração excessiva pode ser sintoma de uma série de distúrbios distintos no organismo e recebe o nome médico de Hiperidrose. Esse quadro é desencadeado, ou agravado, muitas vezes, por fatores emocionais. As glândulas sudoríparas do paciente acometido pelo problema são normais, mas recebem estimulação cerebral vinculada ao estado emocional da pessoa.

Quem sofre de sudorese excessiva tem esse quadro agravado em momentos de estresse. Situações como a necessidade de uma apresentação em público, a proximidade ou realização de uma prova, ou mesmo a presença em meio a pessoas desconhecidas pode desencadear o suor. Nos estudos científicos, admite-se que os impulsos oriundos do córtex cerebral liberam quantidade excessiva de um mediador que aumenta a transpiração, a Acetilcolina.
Por isso a sudorese excessiva. Nesses casos, as regiões que mais transpiram são axilas, mãos, pés e couro cabeludo. Esse problema pode ser amenizado através de vários métodos terapêutico, dos mais simples como loções e cremes especiais, até os mais complexos, como comprimidos, aplicações de toxina botulínica e até cirurgias.
Tudo vai depender da identificação exata do problema específico de cada pessoa, daí a avaliação médica especializada ser fundamental.

O Dermatologista é o profissional mais habilitado para identificar as causas da chamada Hiperhidrose e indicar o tratamento mais adequado para cada caso.
Um dos tratamentos mais atuais utiliza uma substância que já é bastante conhecida para o tratamento de rugas de expressão, e que tem igual sucesso para a sudorese excessiva: a aplicação de toxina botulínica (botox). Enquanto nas rugas a toxina botulínica atua sobre a musculatura facial, na Hiperidrose ela bloqueia a Acetilcolina, impedindo o estímulo às glândulas sudoríparas.


Embora muito eficaz, os efeitos dessa técnica costumam ser provisórios. O efeito da toxina botulínica nas axilas inibe a acetilcolina por até seis meses. Depois desse prazo, o paciente normalmente deve repetir a aplicação para manter a eficácia do método. Tratamento mais definitivo para esse problema é a intervenção cirúrgica chamada Simpatectomia, é pouco invasiva, e pode ser feita por endoscopia. Estudos apontam resultados satisfatórios para 98% dos pacientes que se submeteram a essa técnica. Tanto as soluções provisórias quanto as mais definitivas são consideradas seguras e eficientes, sendo que a técnica cirúrgica é aplicada não só para o tratamento da sudorese das axilas, mas também das mãos.

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy



--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Maio - 2018 Os meses de inverno

Os meses de inverno são os melhores para se fazer tratamentos estéticos; tratamentos para atenuar manchas por exemplo!
Infelizmente ainda não existe uma borracha mágica que faça esse serviço ( que pena! ). Em compensação, cremes e tratamentos poderosos entram em cena para deixar a sua pele mais uniforme – sem pó nem base.

Elas estão entre as maiores preocupações das mulheres que vão aos dermatologistas — ficam atrás apenas da acne e das micoses. Não é à toa: as manchas podem surgir muito antes de você virar a casa dos 30 ! Aos 20 e poucos,
manchas castanhas, pequenas e irregulares (as melanoses solares) aparecem em quem abusou do sol. Garotas jovens que tomam pílula anticoncepcional podem notar o surgimento de manchas que geralmente marcam a maçã do rosto,
testa ou buço por causa da ação dos hormônios (os melasmas).
E quem nasceu com a pele morena pode perceber, de repente, uma nova marquinha escura depois de tomar uma picada de mosquito ou da cicatrização de uma espinha bem inflamada. “Até os 25 anos, existe maior homogeneidade da distribuição do pigmento na pele. Depois disso, a cor do rosto começa a ficar irregular”, Sorte nossa que existem boas soluções para deixar a pele mais
uniforme. Saiba quais são as suas armas e consulte um dermatologista para escolher o tratamento ideal para você.

Por que elas aparecem ?

As manchas são resultado da produção exagerada de melanina, um tipo de pigmento que dá cor à pele. O sol é um dos principais responsáveis por esse descontrole.
Até nos melasmas, em que o grande gatilho é o hormônio, os raios ultravioleta agravam a situação.
Por isso, FILTRO SOLAR é palavra-chave na prevenção e, também, no tratamento desse problema. Pense bem: já que você vai gastar os tubos (literalmente) com cremes e consultas, vale a pena caprichar na proteção para manter o resultado.

Os cremes manipulados

Eles são uma das opções dos dermatologistas. Depois de avaliar a sua pele, o médico pode prescrever uma fórmula específica para você.
Grande parte das substâncias despigmentantes interfere no mecanismo que regula a síntese da melanina. Outros ativos são capazes de absorver e controlar a distribuição desse pigmento na pele. Nos manipulados, a concentração das substâncias ativas pode ser mais alta do que nos dermo-cosméticos tradicionais.
A da hidroquinona (um clássico para tratar manchas), por exemplo, fica entre 2 e 5%. Veja os ativos mais utilizados.

1. Hidroquinona ainda é a mais prescrita. Inibe a ação da tirosinase, uma enzima relacionada à produção de melanina. Deve ser utilizada por no máximo nove meses, pois pode provocar irritação em quem tem pele sensível.

2. Idebenona, nova queridinha dos experts, tem efeito clareador tão potente quanto o da hidroquinona. Melhor: é mais segura, sem tantas reações adversas.

3. Ácido kójico, despigmentante derivado do arroz, promove um resultado mais leve.

4. Clarinskin II é extraído do gérmen do trigo e também controla a síntese de melanina. Destaque: é liberado para o uso em gestantes, vantagem raríssima no mundo dos cremes clareadores.

5. Cosmocair C250 equilibra a produção da melanina e regula sua transferência para os queratinócitos – células da epiderme. 6. Nano White, ativo que associa arbutin (despigmentante de origem vegetal) a outros ingredientes de efeito antioxidante, como a glutationa e as vitaminas C e E.

Vantagens: além das substâncias despigmentantes, os manipulados podem conter filtro solar e ingredientes que combatem o envelhecimento, o ressecamento ou o excesso de oleosidade, tudo no mesmo pote.

Peelings superficiais seriados

Dos tratamentos realizados nas clínicas, eles são os mais indicados para as manchas, pois removem apenas a camada superficial da pele – os mais profundos podem piorar o problema. Alguns ativos dos peelings superficiais
seriados (feitos com intervalos de 15 dias entre uma aplicação e outra) são os mesmos dos cosméticos. O que muda é a concentração: um creme manipulado com ácido retinóico tem de 0,01% a 0,1% desse ativo, enquanto um peeling,
por exemplo, tem de 1 a 5%. Não provocam dor nem tiram a paciente de circulação. Depois da primeira sessão, a pele fica levemente avermelhada e, após três ou quatro dias, pode descamar, mas de maneira discreta.
Conheça três novos peelings antimanchas.

ICP (Innovation Concept Peel)

É uma mistura de vários ácidos, como o salicílico (remove a camada superfi cial da pele), o retinóico (ativa a renovação celular) e o kójico (tem ação clareadora), em altas concentrações. O médico passa uma fi na pincelada sobre o rosto como se fosse uma máscara. A paciente vai para casa e retira o ICP depois de quatro horas.

Números de sessões: de uma a três.

Belides

É o nome comercial do peeling feito com o extrato da flor da margarida (Bellis perennis). Além de conter polifenóis e flavonóides, substâncias de efeito antioxidante, esse ativo interfere na produção e distribuição da melanina.

Número de sessões: de quatro a seis.

Amelan

Primeiro, no consultório, o dermatologista aplica um creme com ácido kójico, ácido azeláico e hidroquinona, associados a alfaquimiotripsina, substância que potencializa o efeito desses despigmentantes. Depois, o produto, em uma versão mais fraca, é usado em casa por um ano.

Número de sessões: quatro.

Vantagens: os resultados aparecem mais rápido do que com o uso dos cremes. Por serem peelings suaves, você não precisa ficar em casa, de molho, até a pele se refazer. Desvantagens: como as aplicações são feitas em várias sessões, exigem muitas idas e vindas ao consultório. Atenção: isso demanda uma certa disciplina sua para o tratamento dar um bom resultado.

Tratamentos High Tech

Aqui, a tecnologia é de última geração. Estes aparelhos supermodernos utilizam diversos tipos de luz para renovar a pele. As máquinas são capazes de controlar a profundidade de atuação bem como o tempo de exposição às luzes – condição essencial para garantir um bom resultado. Entenda como funcionam.

Luz intensa pulsada

Justamente por agir de maneira superfi cial, a luz intensa pulsada cai como uma luva para tratar as manchas. Ela é atraída pelo pigmento da pele, destruindo as células manchadas. Após a aplicação, aparecem pequenas crostas, que somem em dez dias. StarLux, Harmony e Quantum são os nomes dos aparelhos.

Número de sessões: pelo menos quatro, com intervalos quinzenais ou mensais.

Fraxel laser

Esse tipo de laser também surgiu como uma alternativa menos agressiva. Com ele, é possível atingir pontos intercalados da camada superfi cial da pele em vez de tratá-la como um todo.
“Isso permite uma melhor renovação das células para tratar a mancha”, explica a dermatologista Elaine de Oliveira, do Recife, especializada em laser para o tratamento de manchas.
O rosto fica vermelho e inchado por dois dias (recomenda-se ficar em casa), e, depois, descama. Os médicos indicam o método especialmente para os melasmas (manchas causadas por hormônios).

Número de sessões: no mínimo três, com intervalos entre 5 e 15 dias.

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy




--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Abril-2018 - Acne

Atingir a maioridade não é garantia de aposentar um dos maiores vilões da beleza adolescente, a acne.
Embora ela seja mais comum entre jovens entre 12 e 18 anos, cerca de 6% da população adulta continuam sofrendo com as indesejáveis erupções.
A hereditariedade também é um fator relevante: pelo menos metade dos adultos com acne são filhos de pais que enfrentaram o problema, sendo a maioria deles (5%) de mulheres.

Na fase adulta a acne afeta principalmente as mulheres, por estar relacionada a disfunções hormonais - Em geral, há uma persistência da acne da adolescência. Em outros casos, a doença se manifesta juntamente com alterações hormonais como gravidez e menopausa.

Ainda que não exista uma comprovação científica de que alguns medicamentos podem acelerar ou desencadear esse processo, uma alimentação saudável, rica em alimentos naturais, traz benefícios para todo o organismo, e isso se reflete na pele, claro.

Mulheres com síndrome do ovário policístico, grávidas ou na menopausa têm mais chances de ter acne. O stresse e o uso de alguns medicamentos - como corticóides, por exemplo - são fatores que podem contribuir para o surgimento do problema. E se você acha que aquelas vitaminas que você toma são inofensivas, atenção, elas também podem provocar acne.

Alguns medicamentos, compostos para malhar e vitaminas, como Complexo B, por exemplo, podem causar acne. Também podem ocorrer quadros de acne após o uso de alguns cosméticos, e até mesmo após o uso de cremes ou pomadas usadas para tratar outros problemas de pele.

Quando o problema é causado pelo uso de algum cosmético ou medicamento, seu uso deve ser interrompido imediatamente. Mas nem sempre é tão simples identificar a causa da acne na idade adulta, o que dificulta o diagnóstico para uma forma eficiente de prevenção.

Deve-se investigar a causa da acne quando ela surge na idade adulta. Se houver fatores hormonais associados, eles devem ser tratados - apesar de, em certos casos, ser difícil identificar estas alterações. - Descartando estas hipóteses, o tratamento pode ser semelhante ao usado no adolescente.

O tratamento deve ser abrangente e atuar em mais de uma frente, tratando de diferentes fatores que podem estar causando o problema. A limpeza de pele ajuda a desobstruir os comedões (cravos), diminuir o conteúdo bacteriano e a inflamação em alguns pontos da pele, com antibióticos tópicos ou outros remédios receitados pelo seu dermatologista. Em alguns casos, a terapia hormonal é recomendada. Em todos eles, aquele conselho que passamos a adolescência inteira escutando, continua valendo: Mexer nas espinhas pode levar a quadros inflamatórios graves e à formaçao de cistos e cicatrizes. . .

Obrigado e até a próxima,
Dr Fabrício Lamy




----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------



Ipanema - Rua Visconde de Pirajá 608 - Grupo 701 - Tel: (21) 3083-4022
Barra - Av. das Américas 3500 - Bloco 04 - Grupo 411 - Tel: (21) 3282-5510
lamy@lamy.com.br